terça-feira, novembro 13, 2018

Coluna FAP

Coluna FAP
3 POSTS 0 COMENTÁRIOS
Este perfil é destinado à autores convidados pela Coluna de Psicoterapia Analítica Funcional (FAP), que possuem conhecimento ou especialidade em FAP. O objetivo é divulgar a FAP e discutir tópicos relacionados ao modelo em uma linguagem acessível para o leigo, para o clínico, para o estudante e para o cliente. Para tanto, os autores podem contribuir com materiais variados sobre a FAP, como textos sobre conceitos e princípios, casos fictícios que possam exemplificar a aplicação, estratégias e materiais que podem ser utilizados, integração da FAP com outras psicoterapias de base analítico-comportamental, entrevistas com profissionais renomados da área, resenhas ou traduções de artigos ou capítulos importantes sobre FAP, textos voltados ao público em geral que versem sobre o modelo ACL, vídeos em português, entre outras possibilidades.

SIGA-NOS

101,254FãsCurtir
10,157SeguidoresSeguir
2,072SeguidoresSeguir

MAIS RECENTES

Curso: Neurociências e Relações Comportamentais

Curso Neurociências e Relações Comportamentais O crescimento desenfreado de problemas comportamentais e sociais exige dos profissionais e pesquisadores um maior e melhor entendimento acerca das...

MAIS LIDAS

As fases do luto: uma interpretação analítico-comportamental

Muitos provavelmente já ouviram falar sobre as 5 fases do luto: negação, raiva, barganha (ou negociação), depressão e aceitação. Elas foram primeiramente propostas por Elisabeth Kübler-Ross, psiquiatra suíça que trabalhou diretamente com pacientes terminais. [...] Elisabeth nunca foi analista do comportamento e sua área de estudo nunca foi o Behaviorismo Radical. Mas será que podemos pensar em uma interpretação analítico-comportamental para as fases do luto? Como podemos analisar o comportamento de perda (seja de alguém, de um objeto, de um emprego, de um carro, ou até mesmo do que gostaríamos de viver e não será possível)? Um conceito muito importante para entendermos o que ocorre com nosso comportamento quando perdemos alguém ou algo é o de extinção operante.

A contingência