Comediantes têm ‘altos níveis de traços psicóticos’, diz pesquisa

0
Comediantes têm traços de personalidade ligados à psicose, assim como outras pessoas criativas – e essa pode ser uma da razão pela qual eles são tão divertidos, indica uma pesquisa realizada na Universidade de Oxford e publicada no British Journal of Psychiatry.
Traços podem explicar a capacidade dos comediantes de entreter seu público (Foto: BBC)
Sua pontuação foi alta na medição de características que, em casos extremos, são associadas a doenças mentais. E, surpreendentemente, apresentam altos níveis tanto de introversão quanto de extroversão.
Os pesquisadores explicam que os elementos criativos necessários para o humor são similares aos traços observados em pessoas com psicose.
A pesquisa envolveu 523 comediantes (404 homens e 119 mulheres) do Reino Unido, EUA e Austrália. Eles responderam um questionário online, criado para medir traços psicóticos em pessoas saudáveis.
Foram medidos quatro aspectos: 1) experiências incomuns (crença em telepatia e eventos paranormais); 2) desorganização cognitiva (distração e dificuldade em se concentrar); 3) anedonia introvertida (habilidade reduzida de sentir prazer físico e social); e 4) não-conformidade impulsiva (tendência a comportamentos impulsivos e antissociais).
O questionário também foi preenchido por 364 atores – outra profissão que envolve performance – como grupo de controle, e por outras 831 pessoas que trabalham em áreas não-criativas.
Os comediantes pontuaram significativamente mais do que o grupo geral, em todos os tipos de traços de personalidade psicótica. Apresentaram níveis particularmente altos tanto em traços de personalidade extrovertida e introvertida.
Os atores pontuaram mais que o grupo geral em três dos quatro tipos – mas não no aspecto introvertido.
Entreter
Os estudiosos acreditam que essa estrutura incomum de personalidade pode ajudar a explicar a habilidade dos comediantes em entreter.
“Os elementos criativos necessários para produzir humor são incrivelmente similares aos que caracterizam o estilo cognitivo de pessoas com psicose – a esquizofrenia e a bipolaridade”, diz Gordon Claridge, professor do Departamento de Psicologia Experimental da Universidade de Oxford.
Ainda que a psicose esquizofrênica em si prejudique o senso de humor, em uma forma mais branda ela pode aumentar a habilidade da pessoa em associar coisas estranhas ou “pensar fora da caixa”, prossegue Claridge.
E traços similares à bipolaridade pode ajudar pessoas a combinar ideias para formar conexões novas e engraçadas.
“Comediantes tendem a ser levemente introvertidos, que nem sempre querem socializar, e sua comédia é quase uma válvula de escape para isso”, diz Claridge à BBC.
Para Paul Jenkins, presidente da entidade Rethink Mental Illness, as descobertas são interessantes, mas é preciso ficar atento para não reforçar o “estereótipo do gênio criativo louco”.
“Doenças mentais como esquizofrenia podem afetar qualquer pessoa, seja ela criativa ou não. Nosso entendimento sobre doenças mentais ainda é deficiente, e precisamos de mais pesquisas nessa área.”
Fonte: Bem Estar

COMENTE VIA FACEBOOK

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.