Interações mediadas por animais podem melhorar o comportamento social de crianças com autismo.

0
Variados recursos lúdicos, como brinquedos, vídeos e programas de computador, vêm sendo utilizados por diferentes estudos na tentativa de ensinar comportamentos socialmente adequados a crianças com autismo. Dessa vez, uma interessante pesquisa publicada recentemente na revista de acesso livre PLoS ONE, sugere que a interação mediada por animais pode favorecer o desenvolvimento do repertório social de crianças com autismo (O’Haire, McKenzie, Beck & Slaughter, 2013).
Os pesquisadores estruturaram dois tipos de sessões de brincadeira livre: uma apenas com a utilização de brinquedos diversos e outra com a presença de dois porquinhos-da-índia. Em cada situação, conduzida por um facilitador, participavam uma criança com diagnóstico do espectro do Autismo e dois colegas com desenvolvimento típico. No total, participaram 33 crianças com autismo e 66 colegas.
Cada grupo de crianças participou de três sessões com brinquedos e três sessões com os animais, que foram gravadas e posteriormente analisadas por observadores independentes, utilizando um sistema de categorização.
Os resultados mostraram que as crianças com autismo apresentaram, significativamente, maior frequência de comportamentos de abordagem social ao facilitador e aos colegas (incluindo contato verbal, visual e físico) na presença dos animais em comparação com as sessões apenas com brinquedos. As crianças com autismo receberam, ainda, maior frequência de contato visual e físico de seus colegas nas sessões com animais, porém menor frequência de contato verbal.
Foi também observado que as crianças com autismo apresentaram maior frequência de comportamentos prossociais e de afetos positivos, como rir e sorrir, e menor frequência de comportamentos autocentrados e afetos negativos, como chorar e lamentar, nas situações de brincadeiras com animais. 
O estudo aponta o benefício potencial da utilização de animais em programas de ensino que tenham como objetivos suprir déficits de aquisição e de desempenho de habilidades sociais em crianças com autismo. Entretanto, novas pesquisas fazem-se necessárias para um melhor entendimento do mecanismo responsável pelo aumento do comportamento social na presença de animais e seu possível impacto sobre o desenvolvimento socioemocional das crianças.

Referência
O’Haire, M.E., McKenzie, S.J., Beck, A.M. & Slaughter, V. (2013). Social behaviors increase in children with autism in the presence of animals compared to toys. PLoS ONE, 8 (2), e57010.
AnterioresReforço real no universo virtual
SeguintesO Cérebro como Desculpa
Comporte-se
O Comporte-se: Psicologia e Análise do Comportamento foi criado em 2008 e é hoje o principal portal de Análise do Comportamento do Brasil. Nele você encontra artigos discutindo temas diversos à partir do referencial teórico da abordagem; dicas de filmes, livros, periódicos e outros materiais; entrevistas exclusivas; divulgação de cursos, promoções, eventos e muito mais.
COMPART.

COMENTE VIA FACEBOOK

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here