“Ramos” da psicoterapia analítico-comportamental

3
Olá pessoal! Mais uma arte de uma aluna minha, a Samara Oliveira… vocês ainda vão ouvir falar bastante nela!
Para auxílio no estudo das diversas correntes psicoterápicas existentes na psicoterapia analítico-comportamental hoje, Samara Oliveira resolveu fazer um esqueminha com uma árvore, contendo as tais correntes. Segue a figura, e abaixo dela, algumas considerações que fiz:
Traduzindo as “Terapias”, da esquerda para a direita
TCA: Terapia Analítico-Comportamental. É o termo mais utilizado pelos terapeutas brasileiros que se embasam no behaviorismo radical e, outrora, em alguns pressupostos das outras correntes psicoterápicas citadas abaixo. Para mais informações, acessar o artigo de Nazaré Costa (2011), clicando aqui.
ACT: Terapia de Aceitação e Compromisso (Hayes, Strosahl & Wilson, 2011). Considerada uma das “terapias comportamentais de terceira onda”. Para mais informações, consultar os textos de Desirée Cassado, aqui no comporte-se.
*Obs: Há quem diga que a ACT não é uma terapia Analítico-Comportamental. Vejo divergências quanto a isso nos argumentos de seus seguidores.
TCR: Terapia por contingências de reforçamento (Guilhardi, 2004). É uma das primeiras modalidades de psicoterapia unicamente embasada nos pressupostos do BR. É uma modalidade criada no Brasil. Para mais informações, acessar a entrevista realizada com Guilhardi aqui no comporte-se.
TMA: Terapia Molar e de Autoconhecimento (Marçal e Dutra, 2010). Modalidade criada por autores brasileiros. Para mais informações sobre essas e outras psicoterapias analítico-comportamentais brasileiras, acessar o artigo de Costa (2011), clicando aqui.
FAP: Psicoterapia Analítico-Funcional (Kohlebergh e Tsai, 1991/2001). Referente às terapias de terceira onda.  Para mais informações, consultar os textos de Alessandra Villas- Boas, aqui no comporte-se.
PCP: Psicoterapia Comportamental – Pragmática (Medeiros & Medeiros, 2012). Modalidade criada por autores brasileiros. Para mais informações, consultar os textos de Medeiros, aqui no comporte-se.
Obs.: Sabemos que ainda há mais terapias de base behaviorista radical, como a construcional de Goldiamond, mas fizemos esse esquema baseando-se nas modalidades mais citadas na ABPMC.

COMENTE VIA FACEBOOK

3 COMENTÁRIOS

  1. E assim caminha a seleção por consequências: dos frutos, brotarão novas árvores e destas somente as mais adaptadas irão sobreviver. A metáfora da árvore é um primor de tato estendido…Parabéns, Natalie…

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.