IV JAC Jundiaí – Resumo – O estudo do “insight” pela análise experimental do comportamento

0

Autor:  Jan Luiz Leonardi


No fim da década de 1970, B. F. Skinner, R. Epstein e R. P. Lanza deram início a uma série de experimentos que tinha por objetivo produzir, em pombos, análogos experimentais de uma variedade de comportamentos humanos complexos geralmente atribuídos a processos cognitivos. Esse conjunto de estudos recebeu o nome de Columban Simulation Project, inspirado no nome científico dos pombos comumente utilizados nas pesquisas de laboratório de análise do comportamento – Columba livia domestica. Para os pesquisadores do Columban Simulation Project, as interpretações mentalistas de fenômenos comportamentais ditos cognitivos poderiam ser experimentalmente refutadas se fosse possível demonstrar que os padrões comportamentais podem ser aprendidos por meio de contingências de reforçamento específicas. Por isso, eles se dispuseram a produzir tais fenômenos em animais de laboratório e, entre eles, encontra-se o fenômeno do insight. O objetivo desta palestra foi apresentar a interpretação comportamental do insight enquanto resolução súbita de um problema quando dois ou mais repertórios diferentes, previamente aprendidos em separado, se interconectam sem treino direto em uma nova situação, produzindo sequências originais (novas) de comportamento. Para cumprir esse objetivo, foram apresentados os trabalhos de Köhler que deram início ao estudo do insight pela psicologia experimental, bem como os experimentos conduzidos por analistas do comportamento que evidenciaram algumas variáveis que parecem contribuir para a produção do fenômeno. Por fim, foram apontados alguns obstáculos que a análise do comportamento enfrenta no estudo experimental do insight, como a dificuldade em replicar as pesquisas de Epstein e os problemas gerados pelo uso de objetos arbitrários na situação-problema, além de limitações impostas pela própria interpretação comportamental do fenômeno. 

Palavras-chave: insight, interconexão de repertórios, resolução de problemas, criatividade, cognição animal, análise do comportamento

COMENTE VIA FACEBOOK

DEIXE UM COMENTÁRIO

Please enter your comment!
Please enter your name here