Habilidades Sociais na Psiquê #41

2

Neste mês tive o prazer de publicar ao lado de Alessandro Vieira uma matéria sobre Habilidades Sociais na revista Psiquê Ciência & Vida. A parte que eu escreví é a que trata a respeito de como funciona o treinamento e um box que fala sobre a escala Liebowitz de avaliação da ansiedade. Coloco abaixo um recorte da parte que escreví:

Como funciona o treinamento de Habilidades Sociais?

De acordo com Vicente Caballo, no livro Manual de avaliação e treinamento de Habilidades Sociais, o formato básico no treinamento de Habilidades Sociais consiste em, identificar – com a ajuda do cliente – em quais situações específicas ele encontra problemas. O terapeuta faz isso por meio de entrevistas, aplicação de inventários de Habilidades Sociais, observação em campo, autoinformes.

A princípio é necessário construir um sistema de crenças com o cliente, em que se atente a manter o respeito pelos próprios direitos e pelos direitos das outras pessoas. A premissa subjacente no treinamento de Habilidades Sociais é humanista: não produzir estresse desnecessário nos demais e apoiar-se na autorrealização de cada pessoa. Buscar a moderação em seus atos.

Uma segunda etapa do treinamento de Habilidades Sociais consiste em ensinar o cliente a diferenciar ações assertivas, não assertivas e agressivas. Os participantes do treinamento devem entender que o comportamento assertivo é, geralmente, mais adequado e gera mais reforçadores do que os outros estilos de comportamento. Agindo assim, aumentam as possibilidades de que o indivíduo se expresse livremente e também há chances dele conseguir o que se propõe sem prejudicar a si próprio e aos outros. Sendo agressivo, ele geraria provavelmente aversão nos outros, sendo criticado e rejeitado. No caso não assertivo, provavelmente ele não conseguiria o que quer e/ou se submeteria excessivamente à vontade de outros, perdendo assim o respeito pelos próprios direitos. Além destas vantagens, ao ver os resultados positivos por comportar-se assertivamente, o cliente teria a sua motivação aumentada para continuar o treinamento de Habilidades Sociais.

Quem quiser ler a matéria completa, inclusive a parte escrita pelo Alessandro, clique aqui.

COMENTE VIA FACEBOOK

2 COMENTÁRIOS

  1. Muito interesasnte! no meu estágio escolar desenvolvi um projeto para o desenvolvimento de habilidades socias em crianças tendo como base os tópicos do IHS. E agora no meu tcc farei a avaliação da eficácia do meu projeto. então, estou lendo a respeito do assunto e achei seu artigo muito interessante, estou realemnte apaixonada por esse tema! abraços

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.