Os chamados “esportes da mente” ajudam a melhorar capacidades cerebrais

0

O cérebro se destaca como uma das partes mais flexíveis do organismo. Ele pode ser treinado através de diversos tipos de atividades capazes de melhorar de forma significativa seu desempenho. A memória, a atenção, a concentração, a capacidade de raciocínio e diversas outras funções podem ser exercitadas de forma constante, o que além de melhorá-las, contribui para prevenir uma série de problemas neurológicos.

Entre as atividades capazes de estimular o desenvolvimento neuronal, estão os jogos de raciocínio. Colocá-los na rotina pode contribuir de forma significativa para o aumento da disposição para enfrentar o ritmo de vida moderno e as tensões no trabalho e nos estudos. Jogos como Batalha Naval, Caça Palavras, Puzzles, Palavras-Cruzadas, Sudoku, Jogo da Memória e outros do gênero tem este efeito e são bastante fáceis de praticar. Já os popularmente conhecidos como “Esportes da Mente” exigem um repertório mais refinado do jogador, mas ainda assim, estão entre os mais procurados por profissionais de diversas áreas interessados em melhorar as capacidades cognitivas.

Jogos dessa natureza são comumente utilizados por empresários, executivos, CEO’s, profissionais dos esportes físicos e das artes com o objetivo de melhorar de forma continua o desempenho na carreira e nos negócios.

Veja o que funciona para estimular o desenvolvimento neuronal?

Entre os “esportes da mente” mais praticados estão os jogos de xadrez e os carteados. Nas modalidades virtuais, o Poker é considerado um dos mais eficazes. O poker treina cérebro através da criação de contingências que exigem concentração, disciplina e autocontrole, além de lógica e planejamento. Jogadores que praticam há mais tempo, em geral, apresentam desenvolvem de forma bem mais refinada as referidas habilidades, que por sua vez, são extremamente úteis no mundo dos negócios e esportes por contribuírem para o gerenciamento de pessoas, planejamento de investimentos, entre outras coisas.

De acordo com Franck Tarpin-Bernard, da Scientific Brain Training, os games virtuais são desenvolvidos para estimular áreas específicas do cérebro e combinam diferentes funções cognitivas, contribuindo para a formação de novas conexões sinápticas conforme o grau de dificuldade se eleva.

“Jogos computadorizados funcionam como efeito estimulador no desenvolvimento intelectual, permitem maior flexibilidade de raciocínio, desafiam a execução de tarefas, ajudam a treinar e estimular o pensamento lógico, o planejamento estratégico, a solução de problemas, a tomada de decisões, o reconhecimento de erros, a enfrentar situações novas, a inibir reações habituais quando se mostram inadequadas para o momento e o raciocínio dedutivo”, explica Tarpin-Bernard, que também é dono do Happy Neuron, site de jogos para o cérebro.

Outra tese sobre Jogos de vídeo game ganhou notoriedade a partir de 2005. No livro Everything Bad Is Good for You (Tudo o que é ruim é bom para você), do jornalista científico Steven Johnson, estes jogos exigem tanto do cérebro que podem deixar qualquer usuário mais inteligente. Hoje, as pesquisas mostram que isso é real, pois exercitar o cérebro melhora as habilidades cognitivas, e consequentemente a capacidade de raciocínio.

Outro bom exemplo é Brain Age (2006), da Nintendo, projetado a partir dos estudos do neurocientista Ryuta Kawashima, que tem como objetivo acelerar a memória dos usuários. Na tela, uma sequência de cálculos e tarefas é proposta de forma acelerada e faz com que os neurônios trabalhem em ritmo frenético. Ficou comprovado que os jogadores se saiam melhor em testes de raciocínio depois de praticar o game.

A CogniFit, empresa especializada em programas de neurociência, trabalha com a proposta de melhorar a saúde cognitiva através do treinamento do cérebro. Os programas são assistidos por cientistas, neurologistas e psicólogos do mundo todo, que investigam as atividades através de tarefas e jogos simples. O uso da tecnologia permite analisar e ativar diferentes redes de neurônios que vão melhorar as atividades diárias. No site CogniFit o usuário acessa uma série de programas de treinamento, e, ao longo do tempo, pode confirmar o sucesso da ferramenta.

No final das contas, o benefício de exercitar o cérebro está também no longo prazo

A neuroplasticidade pode ajudar pessoas comuns e pacientes com patologias específicas. Entre elas, dificuldade ns aprendizagem, insônia, estresse e doenças. Por fim, o psicólogo de Curitiba (PR) Flávio Pereira, propõe em seu site exercícios regulares de treinamento para o cérebro. Baseado em pesquisas neurocientíficas, o programa visa concentração, agilidade mental, aumento da memória, estimulo ao pensamento lógico, inventividade e iniciativa pessoal.

Entre as práticas estão a observação, os jogos e desafios, testes de lógica e habilidade, enigmas, charadas, desafios visuais e muitos outros interessantes que trabalham todos os processos mentais. No treinamento, o aluno é estimulado a desenvolver sua inteligência e autoconfiança de forma que supere sempre qualquer desafio nos estudos, no trabalho e na vida pessoal.

REFERÊNCIAS:

 

Jogos virtuais melhoram a atenção e a memória, segundo especialistas. Lilian Ferreira. UOL Ciência e Saúde, Artigo de 08/02/2011.

Como turbinar seu cérebro. Eduardo Szklarz. Revista Super Interessante, Artigo de 31/08/2008.

Jogos de Inteligência. Site CogniFit

Treinamento do Cérebro. Artigo do Psicólogo Flávio Pereira, Curitiba, PR.

COMENTE VIA FACEBOOK

DEIXE UM COMENTÁRIO