Divisão 12 da APA disponibiliza online guia sobre práticas psicológicas baseadas em evidências

0

A divisão 12 da APA (Associação Psicológica Americana) disponibiliza online um guia com dados sobre a eficácia de diversas modalidades de terapia aplicadas ao tratamento de transtornos psiquiátricos específicos, como Depressão, Transtorno de Ansiedade Generalizada, Esquizofrenia, entre outros. As informações são reunidas a partir de levantamentos e análises de Ensaios Clínicos Randomizados e Experimentos de Caso Único (nos quais o sujeito serve como seu próprio controle) bem delineados nos quais são investigados os efeitos das intervenções psicoterápicas. De acordo com o tipo de pesquisa realizada e os resultados obtidos, estas intervenções são classificadas como “Tratamento Eficaz”, “Tratamento Provavelmente Eficaz” ou “Evidências Controversas de Eficácia”. O guia é atualizado constantemente, à medida que novos dados são obtidos.

APA

São considerados eficazes os tratamentos para os quais existem:

  1. Dois ou mais ensaios clínicos randomizados, conduzidos por pesquisadores independentes demonstrando que aquele tratamento foi superior a placebo e a outras intervenções psicoterápicas, ou ainda, que seus resultados foram equivalentes a um tratamento já estabelecido como eficaz através de outros estudos bem delineados, ou;¹
  2. Nove ou mais experimentos de caso único conduzidos por pesquisadores independentes apontando para a eficácia do tratamento. ¹

São considerados provavelmente eficazes os tratamentos para os quais existem:

  1. Dois estudos demonstrando que os indivíduos submetidos aquele tratamento obtiveram ganhos superiores a indivíduos sem tratamento, no mesmo espaço de tempo, ou;¹
  2. Três ou mais experimentos de caso único demonstrando que o tratamento é eficaz, ou;¹
  3. O tratamento atende a todos os critérios para ser considerado eficaz, mas os estudos que o sustentam foram conduzidos por um mesmo grupo de pesquisadores. ¹

Por fim, são considerados tratamentos com evidências controversas aqueles cujos  estudos de eficácia chegaram a resultados conflitantes.

É importante frisar que os resultados de cada tratamento foram avaliados para transtornos específicos. Isso significa que a abordagem terapêutica não pode ser simplesmente classificada como eficaz ou provavelmente eficaz, de forma ampla e generalizada, mas sim, como eficaz ou provavelmente eficaz especificamente para Depressão, Transtorno de Ansiedade Generalizada, Transtorno Bipolar e assim por diante.¹

O Comporte-se preparou um breve resumo dos dados apresentados pela APA. Nele foram listados alguns dos transtornos e os tratamentos considerados “Eficazes” para cada um deles. Nossa equipe marcou com ” * ” (asterisco) aqueles tratamentos que, embora descritos pela APA como modalidades independentes de intervenção, correspondem a recursos terapêuticos frequentemente utilizados por analistas do comportamento. Recomendamos ainda, aos leitores, que acessem o manual completo logo abaixo do resumo e façam a leitura dos componentes específicos da Terapia Cognitiva que a Associação Psicológica Americana descreve como eficazes. Muitos deles também também são aplicados por terapeutas comportamentais.

  • Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade 
  1. Terapia Cognitivo Comportamental
  • Transtorno Bipolar de Humor
  1. Psicoeducação*
  2. Cuidado Sistemático
  • Transtorno de Personalidade Borderline
  1. Terapia Comportamental Dialética*
  • Fibromialgia
  1. Terapia Cognitivo Comportamental
  • Depressão
  1. Ativação Comportamental*
  2. Terapia Cognitiva
  3. Sistema Analítico-Comportamental e Cognitivo de Terapia
  4. Terapia Interpessoal*
  5. Terapia de Resolução de Problemas*
  6. Autogestão e controle do self*
  • Transtorno de Ansiedade Generalizada 
  1. Terapia Comportamental
  2. Terapia Cognitiva
  3. Terapia Cognitivo-Comportamental
  • Insônia 
  1. Alteração do Controle de Estímulos*
  2. Restrição do Sono*
  3. Treino de Relaxamento*
  4. Terapia Cognitivo Comportamental
  5. Intenção Paradoxal*
  • Condições Mistas de Ansiedade 
  1.  Terapia de Aceitação e Compromisso*
  • Transtorno Obsessivo Compulsivo
  1. Exposição com Prevenção de Resposta*
  2. Terapia Cognitiva
  • Transtorno do Pânico
  1. Terapia Cognitivo-Comportamental
  2. Relaxamento*
  • Transtorno de Estresse Pós-Traumático
  1. Exposição Prolongada*
  2. Terapia Centrada no Presente (atenção plena)*
  3. Terapia do Processamento Cognitivo;
  • Esquizofrenia 
  1. Treinamento de Habilidades Sociais*
  2. Terapia Cognitivo Comportamental;
  3. Treinamento em Comunidade Multidisciplinar;
  4. Psicoeducação Familiar*
  5. Emprego Apoiado*
  6. Modificação Cognitiva
  • Transtorno de Ansiedade Social e Ansiedade de Falar em Público
  1. Terapia Comportamental;
  2. Terapia Cognitiva
  • Fobias Específicas 
  1. Terapia de Exposição*
  • Transtornos de Abuso de Substâncias Mistas 
  1. Entrevista Motivacional;
  2. Manejo de Contingências*
  • Dependência de Álcool
  1. Terapia Cognitivo-Comportamental
  • Dependência de Cocaína
  1. Manejo de Contingências*

Acesse o guia completo, em inglês, clicando no botão abaixo. Nele estão disponíveis as descrições dos tratamentos empiricamente validados para os transtornos não apresentados no resumo e a descrição dos componentes específicos de cada tratamento que foram associados a bons resultados na terapia.

Clique e Acesse

AGRADECIMENTO

Agradecemos a Jan Luiz Leonardi pela colaboração para a confecção da notícia. As informações marcadas com o número ¹ foram cedidas por ele e correspondem a trechos de um artigo de sua autoria que será publicado em breve. Segue a referência:

LEONARDI, J. L. ; MEYER, S. B. . Prática baseada em evidências em psicologia e a história da busca pelas provas empíricas da eficácia das psicoterapias. Psicologia: Ciência e Profissão (Online), v. 35, p. 1-18, 2015

Jan também falou sobre o tema em entrevista recentemente concedida ao Comporte-se. Acesse neste link:

Clique e Acesse

COMENTE VIA FACEBOOK

DEIXE UM COMENTÁRIO