Autoanálise do comportamento do Behaviorista – por Roberto Alves Banaco.

9
 Lendo o livro  Behaviorismo Radical –  Crítica e Metacrítica , de autoria de Kester Carrara, econtrei uma frase do analista do comportamento Roberto Alves Banaco:
Incapazes de proceder uma análise funcional daquilo que estava acontecendo, os próprios Behavioristas, também privados de seus reforçadores, que neste caso seria o reconhecimento de que suas práticas pudessem ter algum valor prático na solução de problemas, passaram igualmente a agredir quem os agredia através de rejeições de tudo o que se parecesse com mentalismo, fazendo críticas às outras teorias. Assim, somos incapazes de perceber que comportando-nos desta forma só acirraremos a rejeição que naturalmente já deveria existir pela frustração que causamos a nível teórico. Quando desrespeitamos os outros por não pensarem/ trabalharem/ estudarem/ agirem como nós fazemos, comportamo-nos exatamente como eles… talvez também como decorrência destas rejeições, agimos como se fossemos auto-suficientes. O conhecimento por nós produzido é por nós respeitado e o produzido por outros é desprezado. Aqui cabe uma ressalva: produzimos muito, é verdade, mas muitas vezes não procuramos o conhecimento produzido por outras áreas única e exclusivamente porque não temos tempo de consumir o que produzimos, quanto mais a produção alheia. Estou referindo-me aqui às oportunidades de troca de experiências que eventualmente se nos apresentam e que deixamos de aproveitar por preconceito” 
(Banaco, citado por Carrara, 2008)

Gostaria de saber o que pensam os colegas a respeito disto. 

COMENTE VIA FACEBOOK

9 COMENTÁRIOS

  1. Interessante.Já tinha lido esse livro e lembro dessa citação…Concordo em parte com ela, mas vejo a crítica como ponto importante e que deve ser reservados apenas aqueles que a aguetam ouvir.

    Talvez o descuido que se tenha com uma teoria ao apenas criticá-la seja o mesmo que se tem quando apenas a elogia.

  2. Concordo em partes com o Banaco nesse aspecto. De fato os analistas do comportamento contra controlam as toneladas de bobagens que diariamente falam sobre a Analise do Comportamento ou sobre os Behavioristas. Mas nao considero isso um erro, já que os AEC ja provaram que certas teorias não se sustentam e grande parte dos embates é pq os Behaviristas colocam trabalhos cientificos na mesa e os outros não. Não acredito ser uma questao de simples preconceito. Para que uma parte fale a outra precisa escutar e pra uma parte escutar, ela precisa querer escutar.

    As toneladas de bobagens infantis ue falam sobre a AC demonstram que não se quer um dialogo interclasses.

    abs

  3. Também concordo com Banaco. Nem sempre comportamento verbal (seja ele na forma de conhecimento acadêmico) é suficiente pra produzir mudanças no teu próprio comportamento. Infelizmente tais comportamentos de muitos behacas acabam por segregar ainda mais os analistas do comportamento de outras áreas da psicologia. Podemos aprender muito com outras áreas da psicologia e da ciência…

  4. a arrogância dos analistas do comportamento realmente os torna pessoas desagradáveis, e por consequencia, a própria teoria acaba sendo evitada também.

  5. Interessante, mas às vezes temos tomar cuidado quando críticas a behavioristas parecem ser críticas ao Behaviorismo. O Behaviorismo não é fundamentalista, os behavioristas são… e nem todos. Existe muita área de desenvolvimento na Análise do Comportamento que faz interface com produção científica de outras áreas, PRINCIPALMENTE o cognitivismo.

  6. “Incapazes de proceder uma análise funcional daquilo que estava acontecendo…”. O que estava acontecendo? Em que contexto ess e trecho foi citado? Em que contexto foi produzido na obra original? Sem essas informações fica difícil “bater o martelo”…

DEIXE UM COMENTÁRIO